Você pode estar caindo em uma armadilha

Três estudos realizados pela Universidade de Cornell nos Estados Unidos, descobriram que colocando mensagens do tipo “Baixo Teor de Gordura” em rótulos de alimentos, encorajou os consumidores a comer até 50% a mais do que aquelas pessoas que viram etiquetas sem este tipo de alegação.

A causa deste problema se deve principalmente a falta de conhecimento dos valores nutricionais e da característica do produto. “Quando os consumidores observam este tipo de mensagem em um rótulo de produto, presumem que o alimento tem menos calorias. Nem sempre a indicação de menos gordura, significa que um alimento possui baixa caloria”, informou a pesquisa.

 Os participantes do estudo acreditavam que os alimentos rotulados como “baixo teor de gordura” tinham cerca de 260 calorias a menos do que os alimentos considerados “normais”. Isto foi suficiente para encorajá-los a consumir 84 calorias a mais do que estavam acostumados. Além disso, todos eles disseram que se sentem menos culpados por comer “alimentos pobres em gordura”. 

Curiosamente, as pessoas que estão com sobrepeso parecem ser mais sensíveis a este tipo de rótulo: dos indivíduos que caíram na armadilha do “baixo teor”, aqueles que estavam acima do peso consumiram 60 calorias a mais quando comparadas com pessoas de peso normal.

Sugestões para evitar a armadilha

 Leia os rótulos nutricionais! Preste atenção à contagem de calorias dos alimentos, especialmente alimentos pobres em gordura.

   Quando os pesquisadores foram a um supermercado e observaram o teor de gordura e calorias de uma série de produtos, descobriram que, embora as versões de baixo teor de gordura desses alimentos têm 59% menos gordura do que as versões normais, a redução no teor calórico é de apenas 15%, o que não é suficientemente grande para justificar o nosso aumento do consumo.

Meça porções individuais dos alimentos e coloque-os em saquinhos ou recipientes, assim você sabe exatamente quanto está consumindo.

O misterioso mundo dos rótulos ainda pode te pegar. Tome cuidado!

Fonte Universidade de Cornell

Comente com sua conta do Facebook

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here