5 coisas em sua cozinha que podem afetar sua saúde

cozinhaNão há nada que você possa fazer que vai garantir 100% de proteção contra doenças transmitidas por alimentos, mas tomando algumas precauções simples, é possível reduzir o seu risco. Algumas destas medidas de proteção são de senso comum, como lavar as mãos antes de comer. Outras não são tão óbvias. Descubra cinco fontes surpreendentes de problemas em sua cozinha e como se proteger delas.

1. Sua Esponja de cozinha

Um estudo realizado pela NSF International (uma organização de saúde pública dos EUA) analisou diversos itens em uma casa para verificar qual deles possuía mais germes. Ao final da pesquisa, chegou-se a conclusão na qual todos esperavam: a esponja de cozinha foi de longe o item que continha mais germes. Na verdade, ela abrigava 150 vezes mais bactérias, mofo e levedura do que um porta escova de dentes. “Você retira as bactérias quando faz a limpeza de pratos e talheres, mas raramente estas esponjas são desinfetadas, é por isto que os germes se multiplicam”, diz Rob Donofrio, diretor da NSF.

Enquanto a maioria dos germes encontrados não vai deixá-lo doente, alguns outros, tais como Salmonella e E. coli, podem causar graves doenças. Quer saber a melhor forma de desinfetar uma esponja? Simples: basta coloca-lá no micro-ondas por 2 minutos diariamente ou a cada dois dias. Pronto, está desinfetada! Lembrando que é sempre importante substituir a esponja a cada duas semanas.

2. Recall Alimentar

Um achocolatado com detergente que causa queimadura na boca. Um pacote de salgadinho com rato dentro. Esses são apenas dois casos recentes de falhas no processo de produção das indústrias de alimentos e que colocam em risco a saúde do consumidor.

 De acordo com dados do Sistema de Acompanhamento de Recall da Fundação Procon-SP, foram requisitados mais de 11 milhões de alimentos e bebidas para recall desde 2004 (antes dessa data não há registro de recalls de alimentos).

Quer saber se algum alimento que você comprou está sofrendo algum recall? Acesse o site do PROCON http://www.procon.sp.gov.br/recall.asp e realize uma busca.

3. Tábuas de corte

Não utilize tábua de madeira! A não ser que você a troque constantemente. Na tábua de madeira podem ocorrer rachaduras que quando expostas a água e umidade fornecem ambientes confortáveis para os germes e bactérias. Isto com certeza pode estragar seus alimentos. A tábua de plástico é o melhor material para cortar alimentos, além de manter-se mais seca é geralmente mais barata que a de madeira.

4. Seu refrigerador

geladeiraBaixas temperaturas retardam o crescimento de bactérias, por isto é importante ter certeza de que a temperatura de sua geladeira não esteja acima dos 4ºC. Você pode comprar um termômetro para geladeira/freezer em lojas de eletrodomésticos, home centers e lojas de cozinha online. Um bom termômetro digital pode custar entre R$30,00 e R$40,00.

 

5. Os ovos não cozidos

Se você gosta de comer ovos crus ou alimentos preparados com ovos e que não vão para o fogo, como por exemplo a maionese, tome cuidado! É recomendável evitar ovos crus ou mal cozidos (especialmente para crianças pequenas e idosos), devido à possibilidade de doenças de origem alimentar, como a Salmonella. Caso você seja adepto do ovo cru considere comprar o ovo pasteurizado. Estes ovos são submetidos a tratamento térmico para matar qualquer bactéria nociva, tornando-os seguros para consumir crus ou parcialmente cozidos.

Os ovos pasteurizados são vendidos em embalagens longa vida. Existe uma marca chamada Fleischeggs que vende este produto e que pode ser encontrado em grandes supermercados.

Fonte  Eatingwell 

             Estadão

Até a próxima!

Comente com sua conta do Facebook

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here